Para o Amor dar certo

As Constelações Familiares Originais Hellinger buscam trazer soluções sistêmicas para questões como: dificuldades de relacionamento em casa e no trabalho, problemas conjugais, emaranhados familiares, conflitos internos e externos, perda de peso, tomada de decisões, dificuldade financeira, êxito profissional, entre outros.

As Constelações também acontecem para empresas e podem ser conhecidas como Constelação Organizacional ou Consultoria Organizacional. Ela propicia mudanças direcionadas a atingir metas, corrigir a falta de sinergia na equipe, sucessão na liderança, compreensão de queda nas vendas, etc. Constelações trabalham na raiz das diferentes situações problema trazendo nova visão à solução.

O termo constelação familiar é anterior a Bert Hellinger e não caiu do céu. Ele tem sido usado desde a década de 1920 por Alfred Adler para designar efeitos psicológicos e comportamentais entre membros de uma família. A tradução errônea na qual, em alemão, significa configuração familiar foi internacionalmente consagrada como Constelação Familiar. Obviamente que as Constelações Familiares estão alicerçadas em conhecimentos prévios entre terapeutas que já não percebiam tanta eficácia em tratar seus pacientes sentados no divã. A partir de então, encontra-se o conceito de representantes em algumas escolas de psicodrama e terapia familiar. É importante mencionar que na estrutura familiar o terapeuta determina que o cliente assuma uma postura. Já na Constelação Familiar clássica de Hellinger, a configuração é feita a partir dos sentimentos dos clientes. Mesmo sabendo de sua evolução desde Bert Hellinger, a partir de seus estudos das ordens do amor e de sua inovação principal compartilhando o estudo das consciências, as Constelações clássicas podem levar a uma resposta de fácil compreensão que ajuda o cliente a encontrar uma forma mais tranquila e serena de lidar com suas questões.

Nas Constelações Familiares clássicas, bem como nas Constelações originais Hellinger, são percebidos os efeitos das ordens do amor. Entretanto, nas originais o representante não segue instruções ou papeis pré-determinados e tampouco existe intervenção direta, ao contrário, nas Constelações originais Hellinger, tanto o cliente quanto o constelador se entregam ao movimento interno, todos os presentes são tomados por uma força que pode ser sentida tanto mental e emocional como fisicamente.

Estar em contato com a filosofia das Constelações é uma honra, pois trata-se de uma nova possibilidade para olharmos para o que acaba nos levando a quedas, perdas, desconexão do que é essencial para nossa vida.

Costumo honrar Bert Hellinger a cada momento e inclusive em minhas tentativas de explicar as novas Constelações Familiares. Digo tentativa, pois é difícil explicar em palavras uma experiência, uma sensação. De qualquer maneira, é possível encontrar caminhos, caminhos estes, certamente, mais fáceis hoje do que quando Bert iniciava esse movimento.

Hoje, ao explicar o campo morfogênico, basta mostrar meu celular e dizer: somos corpos conectados a um sistema de informação na nuvem, e compreender as ordens do amor traz maior conexão com o essencial desse campo, o essencial que impacta nossa vida e, principalmente, nossos relacionamentos. Assim como a gravidade, existem forças invisíveis que nos fazem cair, e ao saber quais são essas forças, tornamo-nos mais conscientes do que devemos olhar e aprender durante esses momentos de quedas, e por isso, as constelações são a ciência dos relacionamentos, pois nossos maiores desafios estão ligados a como nos relacionamos enquanto temos a honra de estarmos vivos e assumindo nosso destino, a nossa parte em levar adiante o que recebemos de nossos pais.

Imagino 40 anos atrás quando Bert começou esse movimento e como, possivelmente, horas de explicações seguidas de olhares descrentes podem ter permeado os primeiros eventos dele. Além disso, assim como mencionado no livro Um lugar para os excluídos, os vários motivos para questionar a postura de Bert Hellinger. De qualquer maneira, assim como diz Mimansa: “não importa o que as pessoas diziam ou reclamavam sobre Bert Hellinger, algo se move em mim quando estou em contato com esse trabalho e nunca havia me sentido tão centrada em toda minha vida. ”

Assim como dito acima, as Constelações são a ciência dos relacionamentos que pode nos levar a uma postura mais harmoniosa e assim, tratarmos e nos relacionarmos de forma mais centrada e consciente com as inúmeras pessoas que fazem parte do nosso dia a dia e, sendo essa a pauta deste artigo, a pessoa que escolhemos para ser a nossa parceira ou companheira em uma jornada que pode perdurar toda uma vida.

Como o conhecimento das constelações pode “fazer o amor dar certo” ou encontrarmos um “amor à segunda vista”? Essas são menções de dois livros de Hellinger. Se cada título de cada livro dele já é material para horas de reflexões imagine o conteúdo deles. Assim como Dr. Rudiger Rogol diz no prefácio do livro da Sophie Hellinger – esposa de Bert:  A Própria Felicidade. Bert hesitou anos em começar a escrever suas obras, pois sabia que o trabalho ainda não estava pronto para ser publicado, suas conclusões ainda estavam em movimento, e anos mais tarde temos o privilégio de encontrar tais fundamentos na obra de Sophie.

De qualquer maneira, como é o direcionamento desse artigo, retomo a questão.

O que podemos fazer “para o amor dar certo?” Existe um amor? “Amor à segunda vista?”

O que vou compartilhar nas próximas páginas também é comentado sobre as constelações: trata-se de um caminho a ser escolhido para termos mais consciência sobre nossos relacionamentos.

Não vejo outro caminho para nossos relacionamentos, ou para compartilhar um caminho de mais paz e harmonia para nossa vida, do que as “ordens do amor”.

Tive a honra de ouvir da própria Mimansa que “Ordens do Amor” não é uma tradução tão exata assim da forma que Bert Hellinger colocou. Assim como o próprio nome das Constelações Familiares não são uma “boa” tradução, visto que Configuração Familiar se aproxima mais do termo em alemão familienaufsetllung. Mimansa disse que Constelações Familiares compreendidas em alemão dão a ideia de posicionamento, e Ordens do Amor seriam a ideia de o que coloca o amor em ordem. É um princípio filosófico, assim como disse a professora Isabela, em um de nossos webnários.

Assim sendo, compartilharei possibilidades para encontrarmos um lugar, o nosso lugar de força para que possamos colocar o amor em ordem. Uma ordem para que o amor possa fluir em nossa vida assim como o rio flui, a partir de sua fonte, em direção à imensidão do oceano, sem questionar o caminho. E assim, lembro-me de mais uma obra de Bert que gera horas de reflexões: “A fonte não precisa perguntar pelo caminho”.

Eu seria injusto se dissesse que essa obra é a mais importante em minha coleção. Seria injusto, pois toda e cada obra de Bert Hellinger chegou a mim em um momento de desafio e, da mesma forma que aconteceu com a Mimansa, me trouxe equilíbrio e paz. Assim como a leitura das obras de Sophie aquietaram meu coração e me trouxeram a motivação de que eu precisava para escolher esse tema para minha dissertação.

De qualquer forma, a obra “A fonte não precisa perguntar pelo caminho” é importante para minha vida, pois chegou a mim em um momento de muita dor. Essa não foi a primeira obra que li e tampouco o momento da leitura, que me foi transformadora, não foi a primeira vez que eu a lia. O momento da leitura, que foi decisivo, foi logo após o término de um relacionamento.

Eu estava em um relacionamento há dois anos e, devido a obrigações profissionais, eu fora transferido para França por oito meses. Minha namorada ficaria no Brasil aguardando meu retorno. Eu e ela vivíamos afastamentos breves e aproximações intensas. Ela sempre foi muito ciumenta. Eu sempre reclamava disto e pedia sua compreensão, pois eu sempre estava participando de cursos e formações em Constelação, treinamentos, e quando não estava ocupado eu queria descansar. Como resultado não dávamos um passo além, um passo decisivo em direção a morarmos juntos, ter filhos, objetivos em comum, etc. Durante esses oito meses, tive que retornar ao Brasil para providenciar o Visto para a longa permanência e fiquei com minha namorada durante as três semanas enquanto aguardava a documentação para retornar à França. Na ocasião, eu, por medo de “perder” minha namorada ou por minha intuição estar aguçada, percebi um afastamento, por assim dizer, de alma, da minha então namorada. Algo estava estranho, pois à medida que eu deixava cada vez mais claro minhas intenções e objetivos com ela, e conosco, menos energia eu sentia, menos força para os planos eu percebia. Tratava-se apenas de conversas vazias e breves do que poderia acontecer.

Chegando à França numa quinta-feira, fui insistente e enviei algumas mensagens de muito amor e, com a compreensão de Bert Hellinger, e agora entrando a fundo no que ficou para mim de suas obras e no livro “O essencial é que conta”:

“Muito amor é medo de perder. ”

Num domingo, três dias depois da minha chegada eu recebi uma mensagem via Whatsapp indicando o término do relacionamento com a justificativa que ela havia encontrado outra pessoa um dia antes. Minha raiva e nervosismo vieram à tona e muitos xingamentos foram digitados por nós dois. Mal consegui dormir naquela noite e, no auge da dor, enquanto me sentia abandonado e sem conhecer ninguém na França, eu resolvi passar um final de semana na Holanda. Comprei o bilhete de trem e fui a Amsterdam com a obra “A fonte não precisa perguntar pelo caminho” em mãos. Comecei a leitura.

Lágrimas tomaram minha face quando Bert Hellinger menciona que ciúmes é a ação de quem não confia e transfere a responsabilidade do término.

Naquele momento, consegui, claramente, perceber todos os movimentos da minha ex namorada. Todas as vezes que ela tinha ciúmes e brigávamos era porque ela não confiava. Automaticamente me tornei arrogante e percebi quão perigoso isso poderia ser quando Bert Hellinger menciona que toda vez que buscamos compreender o motivo do término somos arrogantes. Somos arrogantes, pois, inconscientemente, achamos que se conseguirmos entender o motivo do fim, podemos reverter. Arrogância na intenção de se colocar maior que a vida, maior que os movimentos que a vida realiza de inícios seguidos de fins que colocam nossa vida em movimento. A pessoa que estava ao meu lado no trem Paris-Amsterdã só não me consolou por tentar falar comigo em holandês e eu não responder nada.  Soluços e lágrimas, a meu ver, significavam o descongelamento desse e de muitos traumas em minha alma.

Ao me acalmar, minha mente mentirosa começou a pregar peça em meus pensamentos me causando mais sofrimento. Comecei a questionar o fato de não existirem culpados conforme Bert nos ensina. O que eu fizera de errado para merecer esse sofrimento? Nesse momento voltei ao padrão de vítima encontrando um consolo no sofrimento e lembrei de mais uma frase.

“Sofrer é mais fácil do que encontrar soluções.”

Se encontrar soluções, assim como Bert nos ensina, é o que nos coloca em movimento, e culpar e questionar a tudo e a todos é me prender a sofrimentos, o que eu posso aprender com isso? Qual solução posso levar para minha vida? Novamente recebi um presente enquanto lia sua obra.

Bert Hellinger comenta que tudo é equilibrado, especialmente em um relacionamento.

Como disse, durante os dois anos de relacionamento conturbado, eu deixara minha namorada sozinha por inúmeros fins de semana. Eu tinha conhecimento da dor que eu causava enquanto me ausentava, mas eu, de fato, escolhi acreditar que a dor não era minha e que se existia amor, ela apoiaria meu caminho. De qualquer forma, eu negligenciei a dor que causei, a solidão que causei e a lei de equilíbrio, que é a terceira ordem do amor, foi minha compreensão como lição sentida mental, emocional e fisicamente. Fins e mais fins de semana de solidão foram a mim retribuídos, e assim, com mais equilíbrio assumi minha responsabilidade em toda a situação. Neste sentido, busquei a compreensão e a sensação de gratidão, pois como eu poderia dizer que se os últimos dois anos não tivessem sido exatamente como foram eu teria a oportunidade de reconhecer de forma ainda mais profunda a força da segunda ordem do amor, a hierarquia. Ainda com gratidão no coração consegui concluir que: “sim”. O sim expressa o pleno direito da minha ex pertencer a minha história. Ela é extremamente importante, e sou grato por ela ser exatamente como é. Assim, em apenas alguns minutos de leitura eu já havia encontrado informações tão profundas que acalmaram meu coração e me colocaram em sentido do movimento do espírito conforme Bert compartilha. Um movimento do espírito que me levou a buscar ainda mais colocar o que aprendi até aquele momento com as Constelações Familiares, a serviço da vida. Encontrei em um vagão de trem um novo sentido para minha vida, uma nova maneira de caminhar me colocando a serviço.

Isso não foi tudo que aprendi com essa obra e naquele fim de semana, ao retomar os estudos sobre términos honrosos de relacionamentos, decidi que minha primeira ação ao encontrar meu laptop seria escrever um e-mail com o término honroso. Foi um e-mail breve no qual pontuei, assim como acima, tudo aquilo que eu havia aprendido e meus sentimentos em tê-la deixado sozinha tantas vezes. Antes de terminar o e-mail, segui mais um direcionamento contido na obra e demonstrei todo meu amor, enquanto desejava que ela fosse feliz e que seguisse a vida dela.

A resposta para esse e-mail chegou em menos de 12 horas, e os comentários dela me deram ainda mais certeza de que cada palavra de Bert é um presente. Cada lição de Bert é um presente, pois nos aproxima cada vez mais da verdade de como encontramos mais liberdade ao seguirmos seus ensinamentos em todos os relacionamentos, independente se as pessoas estão perto ou longe. A resposta que dela recebi foi um breve:

“Sim, também quero que você seja feliz. Meu problema foi que eu nunca confiei. ”

A compreensão de que suas palavras trouxeram exatamente o que Bert explica como sendo a razão do ciúme: falta de confiança. As palavras dela aquietaram ainda mais meu coração. Minha namorada não confiava em nosso relacionamento e assim, tinha muito ciúme. Como é verdadeiro tudo que Bert nos ensina.

 

Resolvi, então, me aprofundar ainda mais nos estudos dessa obra, pois eu acreditava muito que eu deveria estar em um relacionamento amoroso de sucesso.

Em minhas inquietações e sempre buscando compreender mais sobre a vida, por ser um questionador nato, eu queria encontrar o motivo principal para eu querer estar com alguém. Por que é tão importante para mim ter alguém? Eu sei que estou bem em minhas atividades me colocando a serviço da vida, mas algo fica me lembrando de que quero ter alguém.

Esta minha questão foi então, como sempre, respondida com grande sabedoria por Bert Hellinger.

“Sucesso é o que dá continuidade à vida. ”

Esta é a resposta. Eu quero ter sucesso. Eu quero dar continuidade a minha vida com um filho. Bert diz também que dar continuidade e olhar para um terceiro garante o sucesso em um relacionamento. Esse terceiro sendo um filho ou empreendimento. Tais explicações novamente aquietaram meus questionamentos e consegui concluir que eu de fato, gostaria de estar em um relacionamento ou para ter um filho ou para criar algo que esteja a serviço da vida. Bert também nos ensina que uma empresa tem sucesso quando tem lucro e quando presta um serviço à sociedade. Assim sendo, talvez eu encontre a satisfação de estar vivo ao ter um filho ou, se não me for permitido, criando algo com minha esposa que traga lucro à minha família e a outras famílias e que esteja a serviço de algo maior.

De fato, essas foram as respostas que me fizeram direcionar minha vida a encontrar um relacionamento de sucesso. Ao continuar meus estudos encontrei as obras: Amor à segunda vista e Para que o amor dê certo.

Segundo Bert Hellinger, para o amor dar certo, ou melhor,

“…a base para que o amor entre um homem e uma mulher dê certo, é o amor da criança pelos pais e dos pais pela criança. Quando existem dificuldades nos relacionamentos a dois, isto, frequentemente, está ligado ao fato de que aquilo que antecede o amor entre o casal ainda precisa de uma solução. “

Algo profundo que Bert Hellinger comenta nesse sentido é sobre a Paixão. Seus sábios comentários exemplificam que a paixão é a sensação baseada em uma exigência infantil de que o outro não irá nos machucar. Como mencionado acima, devido ao fato de carregarmos questões com nossos pais, projetamos com muito peso em nossos relacionamentos amorosos, a necessidade, em forma de exigência, de que o outro não nos machuque, de que o outro atenda tudo de que precisamos, ou até mesmo, julgamos que nos faltou.

Esse movimento da paixão ligada a exigências de questões que julgamos não ter conseguido no amor de nossos pais e, por assim dizer, encontramos a pessoa, cegos pela paixão, da maneira como gostaríamos que ela fosse e não como ela é.

Após a sensação e percepção de que o outro nos machuca e de que não é “perfeito”, somos convidados pela vida a reconhecer que nossos pais também não têm nenhuma obrigação de serem super-heróis. Nossos pais, os grandes seres humanos, nos deram a vida e nos convidam a crescer além de nossas exigências e traumas para nossa evolução. Ao reconhecermos a grandeza de nossos pais sem julgamentos e voltarmos nossos olhos, nossa alma, para nossa vida e para o nosso relacionamento, o que faz o amor dar certo é reconhecer o outro como ele é e não como gostaríamos que fosse. Para que o amor dê certo, fazemos um movimento além das nossas exigências e nos colocamos na frente do parceiro com nossas dores reconhecendo que ele também tem dores, aspectos, exigências e questões, assim como nós. Com coragem, ao encontrar a realidade como ela é, podemos ser tomados por uma motivação que nos coloca em sentido da vida, de filhos e de projetos empreendedores, assim como dito acima. Esse é o encontro do amor à segunda vista. Um encontro de aceitar a pessoa como ela é, aceitar a maneira que ela foi educada e suas histórias como foram e, ao estabelecer um projeto em comum, o casal ganha força.

Sonhos e projetos são chaves para os relacionamentos, conforme Bert. Chaves que abrem as portas para transcendência e transformação do local onde se está hoje para um local de força que faz o amor dar certo. Bert Hellinger completa com outras três chaves, e as comento a seguir.

Uma das chaves para o amor dar certo é qualidade de tempo. À medida que somos tomados por nossas responsabilidades, como: filhos, deveres, pode ocorrer que o casal não encontre mais tempo para si. Essa chave ganha ainda mais força, pois está ligada à segunda ordem do amor, a hierarquia. A hierarquia dita a precedência como sendo maior e mais importante do que o que vem depois. Ao olhar para um casal devemos reconhecer que sua precedência está ligada a quando se conheceram e se houve conexão que os convidou a olhar para formas de terem sucesso juntos. O casal, ao se apaixonar, estabelece que entre eles o que veio antes, e é mais importante, é o casal, depois os filhos, os projetos, etc. Sabendo que a qualidade de tempo é uma das chaves, o casal deve ter em mente que deve haver momentos em que estar juntos e dedicados um ao outro é agradável. A busca, nem que seja uma vez por mês, de momentos agradáveis entre o casal é uma das chaves.

Outra chave que, assim como a qualidade de tempo, também está ligada às ordens do amor, ou melhor à primeira ordem do amor, é o “amor”. Bert Hellinger diz que amar é aceitar a pessoa exatamente como ela é sem nenhuma exigência ou expectativa de que ela mude. Nesse sentido, eu dou o direito do pertencimento ao parceiro, sendo essa a primeira ordem do amor, a primeira lei que coloca o amor em ordem. Permitir que ele saiba que é aceito exatamente e que tem um lugar sendo exatamente como ele é, traz força ao casal. Eu gosto de pensar que a outra maneira que Bert busca compartilhar sua visão do que é o amor está ligada à terceira ordem: o equilíbrio de troca, o equilíbrio entre o dar e receber. Penso assim visto que amar também é dito como sendo o desejo genuíno de que a pessoa seja feliz, independente se a pessoa esteja perto ou longe. A proximidade também nos convida a desejar a liberdade. E quando acredito no equilíbrio de troca, recebo aquilo que ofereço e, a meu ver, ao oferecer um desejo genuíno de felicidade e liberdade eu recebo o mesmo em troca e, com essa chave, o relacionamento pode dar certo.

Também relacionado ao equilíbrio de troca, temos mais uma chave: desejo sexual. Esse ato sagrado de pura entrega, de intimidade do casal, traz força quando é desejado por ambos. Nenhuma parte é tomadora ou doadora no ato sexual, os dois se completam em seus lugares, e o casal ganha força com o desejo. Bert Hellinger diz que não existe nada mais sagrado do que encontrar alguém com quem possamos realizar o ato sexual olhando nos olhos e, essa honra, também traz nova força ao casal.

Percebemos aqui que as ordens do amor são como árvores, pois seus galhos e raízes podem ser vistos e sentidos de forma muito ampla. Digo isso, pois ao comentar as chaves percebemos que podem ser ramificações, frutos de uma mesma semente: o amor.

Essa é, a meu ver, a grande mensagem de Bert Hellinger. Não importa qual área da vida olhemos a partir de nossos incômodos ou busca de soluções, todo sistema onde existam membros e consciências que interagem entre si pode encontrar suas soluções passando por esses ganhos das percepções Hellinguerianas que nos conduzem ao amor, um amor maduro e humilde.

Ao reconhecer a força desse amor com uma amplitude maior, Bert Hellinger nos convida a olharmos com concordância a tudo e a todos, pois assim iremos sempre nos movimentar ao sucesso da unicidade que nos coloca no fluxo da vida.

Como agir quando desmarcam com você

Tudo que é criado, cocriado ou realizado inicia com um pensamento. Até mesmo seus relacionamentos amorosos, seu trabalho, a qualidade da sua vida, etc.

Esse é o Princípio do Mentalismo, conforme o Caibalion.

Se você pensar em uma cadeira, a primeira cadeira da humanidade. A cadeira foi inicialmente pensada a partir das dificuldades que as pessoas tinham enquanto se sentavam no chão.

Nesse momento alguém parou e pensou.

” O que eu posso criar para ajudar às pessoas?”

Eu acredito que essa é a chave para você saber o que fazer quando alguém que você está interessada para iniciar um relacionamento desmarca com você em cima da hora ou quando você toma um fora.

Quando encontrar a resposta e colocar o resultado nas mãos de Deus. Consequentemente, tudo entrará em um fluxo, seus relacionamentos amorosos, seu trabalho, o relacionamentos no trabalho, relacionamentos na sua família, etc

Encontre seu lugar ajudando aos outros. Bert Hellinger diz: quando eu encontro meu lugar, eu permito que todos encontrem seu lugar. Em nosso lugar, temos força.”

Temos força quando realizamos nossos sonhos, estudamos. Assim, traçamos nosso plano para ser quem verdadeiramente somos dentro e fora de um relacionamento amoroso.

Nenhum dos seus antepassados teve essa oportunidade. Hoje podemos estudar tudo que queremos. O acesso da informação para nossos avos e avós era precário. Em outras palavras, Conseguir um livro era praticamente impossível ao se afastar apenas alguns quilômetros dos centros das capitais.

Quando alguém desmarcar com você, você pode fazer drama o quanto você quiser e a vida vai continuar. Ou melhor, a vida vai continuar com você fazendo drama ou não então, que tal fazer algo com o tempo que você têm extra quando desmarcam com você.

Em minha época de adolescente, eu vivi uma certa dificuldade para conseguir ouvir as bandas musicais que eu gostava. Semanas, em alguns casos meses, separavam os lançamentos de álbuns no exterior até a chegada ao Brasil. O custo era elevado. Por esse motivo, eu fazia viagens semanais ao centro de São Paulo para encontrar lojas que gravassem em fitas cassete os Cds recém chegados ao Brasil com um custo bem menor. Obviamente, eu já achava isso complicado.

Hoje, eu imagino o que acontecia quando um avô meu gostaria de ler um jornal. Na verdade, para meu avô, ele nem poderia ler um jornal por ser analfabeto. Para ele foi impossível e para mim é possível graças a tudo que ele passou.

Nossos antepassados tinham extrema dificuldade para acessar qualquer tipo de informação.

Para estar atualizado e ter as informações, existiam vendedores de enciclopédias que passavam de porta em porta. Todavia, o custo era muito alto.

Assim sendo, estudar ou ter conhecimento era algo, anos atrás, muito mais segmentado a quem possuía disponibilidade de recursos financeiro.

Todos nossos antepassados queriam estudar para ter mais recursos.

Hoje, podemos estudar todos assuntos a qualquer momento e, quanto mais você estudar, mais você terá a oferecer em um trabalho e em um relacionamento.

Não estou falando apenas de estudos acadêmicos. Comento aqui sobre a importância de estudos acadêmicos e principalmente da nossa habilidade em colocar em prática aquilo que faz parte de nosso leque de conhecimento proveniente da escola, faculdade, universidade, bem como, tudo aquilo que a vida te ensinou.

Bert Hellinger, diz que é muito mais iluminado espiritualmente aquele que é empresário do que aquele que se retira para meditar nos Himalaias. Eu sei que Bert Hellinger reconhece a importância dos monges que meditam, mas o convite que ele faz com essa frase é para  sermos “iluminados” não importa onde.

O que posso fazer para viver relacionamentos amorosos iluminados?

De fato, não importa o custo que paguemos para compartilhar nosso conhecimento, ele sempre vai ser pequeno quando comparado ao que nossos antepassados passaram para estarmos vivo nessa época tão importante.

Compartilhar o que aprendemos e experenciar o que, por exemplo lemos, é necessário pois só assim a gente consegue transformar o conhecimento em sabedoria. Só sabe aquele que pratica o que aprendeu com coragem sabendo que não existem falhas, que existem apenas ajustes para continuarmos a servir o mundo a partir do que compartilhamos.

 

 

Gostaria de compartilhar a definição de Bert Hellinger sobre o sucesso.

 

 

“Sucesso é o que dá continuidade à vida.”

 

 

Assim sendo, você já é um sucesso. Você está viva. Nesse sentido, compartilharmos nosso conhecimento, abrir uma empresa, viver nossos sonhos, empregar pessoas, viajar etc. são apenas poucos exemplos do que você pode fazer para dar continuidade a vida e aos sonhos de seus antepassados. Relacionamentos amorosos são consequência da vida que levamos, ou melhor, os relacionamentos amorosos podem dar certo, o amor pode dar certo quando fazemos algo de bom com o tempo que temos e, conforme escrito acima, que tal você ser iluminada fazendo um trabalho que ama?

 

 

Você pode pensar nesse momento que é impossível e deixo aqui essa poderosa e profunda frase de São Francisco de Assis.

 

 

“Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você fará o impossível.”

 

 

Quer saber mais sobre o caminho do amor baseado nas constelações?

 

 

Como não passar mais um réveillon sem beijar ninguém

O que fazer quando você sente que só você está sozinha na festa de família?

Vou contar aqui uma história muito interessante sobre minha vida até o ponto que eu descobri Como não passar mais um réveillon sem beijar ninguém.

Nesse texto, você vai ler o que aprendi para poder seguir minha vida e aumentar a probabilidade de relacionamentos, Digo isso, pois eu não sabia mais o que fazer para não passar um réveillon sem beijar ninguém. O que eu aprendi, mudou minha vida e meus réveillons.

Meu papai me ensinou algo muito importante: o princípio da liberdade. Essa lição foi compartilhada enquanto eu explicava com toda a arrogância que alguém com 19 anos tem, porque acha que sabe tudo: “Liberdade é fazer o que eu quero sem me importar com o que os outros pensam.”

Meu pai apenas olhou e me fez uma pergunta que gerou raiva em mim, pois eu não sabia a resposta.

Meu papai me perguntou qual era o limite da liberdade. Enquanto a raiva tomava conta de todo meu sistema, e eu gaguejava algumas palavras sem sentido, meu pai disse: o limite é quando o que você faz impacta os outros.

Se o que você faz atrapalha o caminho de alguém então é libertinagem e não liberdade. Se você quer ouvir música na praia eu penso que tenho a liberdade de ouvir a música que eu quero com meu fone de ouvido ou até mesmo em meu celular.

Eu penso que libertinagem seria comprar uma caixa de som mega potente e ouvir a música que eu gosto. Assim sendo, no auge da minha arrogância aos 43 anos, eu penso que liberdade é ouvir o coração e fazer aquilo que faz sentido para minha vida assumindo a responsabilidade por meus atos, deixando todos livres.

Bert diz:

“O deixar é a maior ação sem ação.”

Lembrei imediatamente minha mãe quando eu voltava para casa quando alguém tivesse pegado no meu pé ou me “zoado”, tirado sarro da minha cara na escola ou na rua onde morávamos.

As sábias palavras da minha mãe eram:

“Deixa pra lá”

Na minha arrogância eu simplesmente rejeitava o que minha mãe dizia e me trancava no meu quarto.

Eu pensava que minha mãe não sabia o que eu estava sentindo.

Eu ficava me remoendo no meu quarto pensando o que aconteceria no dia seguinte.

Horas de pensamentos do tipo:

O que os outros amigos iriam dizer de mim?

O que vai acontecer se o fulano que tinha pegado no meu pé voltasse?

Nada acontecia na maioria das vezes.

Eu havia ficado me remoendo em casa, virado a cara para minha mãe e nada acontecia.

Quando eu voltava para a casa, minha mãe vinha me perguntar se eu estava bem e se o fulano havia me incomodado de novo.

Adivinha o que eu fazia?

Obviamente, eu não dava o braço a torcer.

Dizia que ela não me entedia e voltava ao meu quarto.

Lembrando disso, reconheço o quanto as palavras de que minha mãe eram sábias.

Lembrei dos Beatles.

Lembrei de “let it be”.

Minha tradução livre e pretensiosa dessa música é:

Quando eu me encontro com problemas, minha mãe Clarisse vem até mim falando palavras sábias:

Deixe estar, deixe ser.

Nossa verdadeira ação é definitivamente a não ação.

A verdadeira ação que exige uma grande força e dedicação é o deixar.

Entretanto, ao descobrir essa formula mágica eu não descobri como não passar mais um réveillon sem beijar ninguém.

Eu só sei que quando aprendi a “deixar prá lá.”

Logo, eu não me importei mais como, onde ou porque eu iria passar mais um réveillon sem beijar ninguém.

Deixar pra lá.

Vão te chamar de solteirona? De Encalhada? Quer saber como não se importar se você passar mais um réveillon sem beijar ninguém e alguém pegar no seu pé?

“Deixe te tratarem assim”

Assim, o verdadeiro sábio é aquele deixa estar e contorna as situações. Ele sabe como não se importar se passar mais um réveillon sem beijar ninguém

O sábio confia que o que é seu sempre encontra um caminho.

Sem stress, sem briga. Se passar o réveillon sem beijar ninguém, não reclame, não brigue, não questione.

O verdadeiro tolo questiona, o sábio deixa para lá.

Por exemplo, como já dizia Jesus:

“De a outra face”.

Penso que quem dá a outra face, geralmente não recebe outro tapa.

Obviamente, quem não dá a outra face, continua a briga.

Deixar pra lá.

Você pode deixar assim.

Faça uma ação da alma silenciosa e deixe.

Essa é uma expressão de amor a nós mesmos e aos outros.

Talvez compartilhar as 4 leis espirituais da índia seja interessante:

Só acontece o que precisa acontecer. (“Deixe “)

Só começa na hora certa. (“ Let it be”)

Só termina na hora certa. (“Deixa pra lá)

Quem precisa estar presente, estará presente. (“Let it be”)

Permitir é confiar que existe uma sabedoria superior por traz de tudo isso

Assim, a sabedoria que nos mostra que ao permitimos que essa força flua em nossas vidas. Logo, vamos nos apropriar de toda sua força para fazermos algo de bom com isso.

Todavia, se você não sabe o que fazer para não passar mais um réveillon sem beijar ninguém: Deixe para lá.

Em outras palavras, rejeitar essa situação vai fazer com que você rejeite tal lição. Assim, essa situação vai se repetir por muito tempo.

Com aceitação, há transformação. Com rejeição, há prisão.

Finalmente você irá plantar uma semente de uma nova possibilidade e a deixe assim simplesmente crescer.

Em conclusão, você pode perceber que quem deixa, se liberta e confia na vida.

Quer saber mais sobre o caminho do amor baseado nas constelações?

Os 7 erros que acabam com qualquer relacionamento

Descubra quais são os 7 erros que acabam com qualquer relacionamento baseado na constelações familiares do alemão Bert Hellinger.

Não sei se você me conhece. Além de ser constelador familiar, eu sou grande estudioso do assunto. Assim sendo, Sempre busco ler e reler as obras de seu criador, Bert Hellinger.

Minha jornada como terapeuta, com mais de 1000 horas de curso, começou por causa de minha dor em relacionamentos. Busquei e pesquisei muitos materiais e o que vou compartilhar aqui é tudo que eu encontrei que mexeu comigo.

Digo que são pontos que mexeram comigo, pois eu cometi cada um dos 7 erros abaixo até o momento que encontrei o que finalmente fez o amor dar certo através das constelações familiares.

Compartilho a lista com a intenção de que você também possa olhar para si mesmo, seus comportamentos e encontrar uma nova maneira de se relacionar. Digo isso, pois nada vai adiantar se o homem dos seus sonhos aparecer e você continuar a ter os mesmos comportamentos achando que o erro era com as pessoas com as quais você se relacionou.

Como já diria Einstein: “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.” Espero que encontre resultados diferentes que façam o amor dar certo na sua vida também.

ERRO 1: Achar que Paixão dura para sempre:

A paixão acaba. Bert Hellinger diz que o amor a primeira vista é um amor infantil, pois nos relacionamos com uma imagem interna de como a pessoa deveria ser em vez de nos relacionarmos com quem a pessoa realmente é. Quando a paixão acaba e não temos a maturidade de saber que não existe perfeição, podemos encontrar o que Bert Hellinger indica como, o amor a segunda vista.

Erro 2: Achar que não vai sofrer:

Brene Brown tem uma das palestras Ted mais assistidas do mundo. Sua palestra explica a força da vulnerabilidade e ela é clara em dizer: “não tente não sofrer, você vai sofrer.” “Você vai falhar, aprenda com os erros.” Assim como Bert Hellinger diz: “Apenas o imperfeito tem futuro, o perfeito já está morto.” Todos vamos falhar e sofrer. Colocar a pressão no outro para que ele seja perfeito e que atenda todas as nossas expectativas é forçar que seu companheiro não dê conta de tanta pressão.

ERRO 3: Cortar o Ex da vida:

A Vida acontece em perfeita harmonia de acontecimentos que nos levam a evolução diária. Excluir o ex ou a ex do seu atual relacionamento é ignorar uma parte da história da sua vida ou da vida de seu namorado ou namorada. Como podemos dizer que ele ou ela, ou você, estariam disponíveis e com a consciência da vida que vocês têm hoje se não fosse pelos “exs”. Gratidão aqui é o caminho.

ERRO 4: Fazer tudo juntos:

Qualidade de tempo é uma das chaves para os relacionamentos, conforme Bert Hellinger. Isso não significa que você precisa fazer tudo com seu namorado. Isso significa que vocês precisam ter espaço para fazer coisas sozinhos e quando estiverem juntos fazer coisas interessantes para os dois. Você não precisa levar seu namorado a todos os lugares, o que precisa é haver qualidade de tempo nos lugares que vocês estiverem juntos.

ERRO 5: Fazer o outro mudar:

Trata-se aqui de uma grande energia e falta de amor. Digo isso, pois Bert Hellinger diz que o verdadeiro amor é quando se aceita o outro exatamente como ele é. Sem exigências e expectativas. Amar é aceitação plena.

ERRO 6: Ajudar demais:

” Quem muito dá tira a dignidade de quem recebe” – Bert Hellinger. Uma metáfora que pode fazer sentido para você é a da borboleta. Se alguém ajudar com o casulo, a borboleta morrerá. Neste sentido, é importante permitirmos que todos tenham suas ações e que não façamos muito ao outro sem dar oportunidade para que ele retribua. A alternância entre o dar e o receber, esse equilíbrio, é que traz força para o casal. O cuidado aqui é perceber se suas ações ou presentes são uma forma de manipular para que a pessoa fique.

ERRO 7: Não fazer planos:

Com a correria do dia a dia, as contas, os boletos, os filhos, etc., o casal pode cair em algumas rotinas. Isso em si não é um “problema”. A questão começa a levar o relacionamento ao fim quando o casal para de sonhar. Sem sonhos não há futuro. A força compartilhada, quando os dois fazem sua parte para realizar um sonho, traz profundidade, força e comprometimento para os dois.

Espero que o que foi compartilhado aqui tenha sido uma luz para seu caminho. Meu mais sincero desejo é que você possa ter visto alguns dos seus comportamentos na lista acima. Assim, você, agora, tem muito mais consciência para fazer o amor dar certo em sua vida.

Quer saber mais sobre o caminho do amor baseado nas constelações?

Sem saber Constelações, as pessoas vão desaparecer sem motivo

silencio e foco banner

As pessoas vão desaparecer sem motivo quando você não sabe o que está fazendo de errado,

Assim sendo, vou te explicar com uma música. Obviamente, você deve saber aquela oração de São Francisco que também já foi interpretada por diversos artistas?

Um trecho dela é assim:

“… Ó mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado
Compreender que ser compreendido
Amar que ser amado
Pois, é dando que se recebe…”

Tal estrofe é a mais importante para ilustrar a força dessa arma. Digo isso pois é fato que podemos afirmar que essa força da retribuição é conhecida desde os inícios dos tempos como o conhecemos. São Francisco traz essa chave da doação sem apego ao resultado como, a meu ver, sendo uma chave da prosperidade. Lembrando que prosperidade, ou seja, estar no fluxo da prosperidade é sentir de alma que temos tudo que precisamos em abundância.

Nesse sentido, eu novamente afirmo que a prova da confiança é a doação. Se você está com dificuldades financeiras, faça uma doação. Existe um autor de best-sellers chamado Deepak Chopra.

Deepak Chopra é um médico indiano radicado nos Estados Unidos. É formado em medicina pela Universidade de Nova Deli. É também professor de ayurvedaespiritualidade e medicina corpo–mente. Um de seus best-sellers é a obra:

As 7 leis espirituais do sucesso.

A segunda lei do sucesso, em breve irei aprofundar a explicação baseada nas constelações familiares sobre sucesso, é a lei da doação. Deepak diz que, para termos sucesso e, no sentido desse livro resumo, sucesso em nossos relacionamentos amorosos, precisamos fazer doações generosas de tempo e dinheiro. Deepak diz e eu acredito que, o universo opera através de trocas dinâmicas. Dar e receber são diferentes aspectos do fluxo de energia. Com a nossa disposição de dar o que buscamos, mantemos a abundância do Universo em nossas vidas.

A força motriz por trás da doação deve ser a felicidade – se quiser amoralegria ou coisas boas, dê o mesmo aos outros sem se preocupar se elas vão desparecer com ou sem motivo.

Ele afirma que, mesmo em situações em que não temos recursos para doar nada, devemos doar nossa felicidade através de palavras de gratidão e elogios com todos que encontramos e, a meu ver, a grande doação quando não há recursos, deve ser a doação generosa de nosso sorriso. Uma das coisas que faço em meu dia-a-dia e recomendo, é olhar para pessoas de forma discreta e desejar que elas sejam felizes e tenham um dia abençoado.

Por este motivo, dar algo antes de pedir outra coisa como retribuição se tornou uma força muito poderosa para recebermos o que almejamos

Assim sendo, começamos a fazer aos outros o que gostaríamos que fizessem conosco

Esse ensinamento é algo que outros pensadores como Chico Xavier, Confúcio etc já diziam.

Um exemplo de como essa arma funciona são os supermercados. Imagine que você está andando pelos corredores e encontra uma pessoa oferecendo amostras grátis de uma nova bebida e você, simpaticamente, aceita experimentar.

Você acha a bebida boa, mas nada demais e, por isso, não pretende comprá-la. A vendedora então sugere que você compre três latas da bebida.

Você sente uma certa PRESSÃO INCONSCIENTE para levar, após ela ter dado a bebida de graça, mas ainda acha o pedido extremo e recusa. Então, ela diminui o pedido para apenas uma lata e a história muda completamente.

Aquelas banquinhas oferecendo revistas de graça também eram campeões de vendas em um passado não tão distante pois, utilizavam essa técnica da reciprocidade, enquanto revistas eram populares e vendiam muito.

Já Bert Hellinger, criador das Constelações Familiares, aprofunda ainda mais essa percepção dessa força da natureza.

Ele também afirma sobre a existência da força da retribuição e, uma frase que venho utilizando ultimamente é a que já mencionei acima. Para deixar claro, vou compartilhar novamente com a intenção de que seja uma compreensão ainda mais profunda.

Não existe uma ação sequer que não entra na sua conta no banco do universo. As vezes receberemos créditos e as vezes teremos débitos.”

O que Bert aprofunda é a visão da dignidade. Ele afirma:

Quem muito dá tira a dignidade de quem recebe.”

Bert Hellinger

Assim sendo, se eu continuar a doar muito, as pessoas vão continuar a desaparecer sem motivo.

Quando estou facilitando as vivências em constelações familiares pelo Brasil, eu explico essa lei da reciprocidade que Bert a denomina como sendo uma das ORDENS DO AMOR ou, uma das leis sistêmicas que COLOCAM O AMOR EM ORDEM.

Eu comento que, minha mãe durante minha infância sempre fazia algum tipo de doce ou salgado para levarmos as casas de nossos amigos e parentes durante uma visita para que os adultos jogassem cartas e as crianças brincassem.

A tradição implicava em levar uma tigela ou bandeja com o alimento preparado pelo visitante, e o anfitrião era nesse sentido convidado a retornar o recipiente em uma próxima ocasião.

Bert Hellinger, diz que apenas quem está disponível para estabelecer o equilibro de troca é quem está disponível para vida e, para ir profundo na vida.

Ao oferecer algo e, ao receber de volta, mais planos e possivelmente objetivos vão entrelaçando as conversas durante os jogos de cartas dos adultos disponíveis para vida.

De acordo com as Constelações Familiares, a percepção da dignidade explica aproximação e afastamentos e, assim é parte essencial da força da reciprocidade, ou seja, do desejo de retribuir algo que rebemos ou não:

Quem muito dá, tira a dignidade de quem recebe.”

Bert Hellinger

Reflita comigo sobre esse exemplo de levarmos alimento ao visitarmos alguém ou as pessoas vão continuar a desaparecer sem motivo.

Logo, pense comigo o que acontece quando você leva a comida ou bebida mais cara possível. Como a pessoa que a recebe poderá retribuir? A resposta seria que ou o receptor irá fazer muito esforço para retribuir a essa “pressão” imposta pela lei da reciprocidade ou, perderá sua dignidade pois, não dá conta de retribuir, fica pesado. Agora a pressão de não conseguir retribuir é uma força oposta que OBRIGA O RECEPTOR A SE AFASTAR.

Em outras palavras, saber dosar o que oferecemos dentro das possibilidades do que o receptor pode retribuir é uma sabedoria. A lei da reciprocidade pode gerar um relacionamento com uma profundidade inquebrável ou um distanciamento sem fim: a pessoa desparece sem motivo.

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose”

Paracelso – médico e físico do século XVI

Obviamente, a grande chave dessa dosagem é o respeito com quem nos relacionamos e uma investigação de nossas motivações em oferecer algo. Assim sendo, se ofereço algo esperando algo em troca ou para tentar provar para a pessoa que mereço valor, a dosagem provavelmente irá ser demasiada.

Isso acontece pois, qualquer olhada no celular ou silêncio de seu parceiro, você já vai “suspeitar” de que ele não gosta mais de você e você irá buscar outra doação. Assim, você transforma suas doações egoístas.

Por exemplo: quando você espera algo em troca, você torna suas ações um veneno. Um veneno que só causa afastamento e as pessoas vão continuar a desparecer sem motivo se você não seguir essa dica.

A dica é:

Pratique a doação altruísta e respeite, sem esperar nada em troca, o limite de que cada um pode fazer.

Sem saber isso, As pessoas vão desaparecer sem motivo.

Para finalizar, gostaria que você pudesse refletir sobre quem você era no seu último relacionamento:

  1. Soberba – Tem dificuldade em receber. São capazes de prestar favores a outros, mas não gostam de receber favores de ninguém e as pessoas vão desaparecer sem motivo.
  2. Egoísta – Sabem receber, mas não querem doar. Só querem o “venha a nós…”. Assim sendo, as pessoas vão desaparecer sem motivo.
  3. Estéril – Não querem dar nem receber. São os eremitas financeiros. Logo, As pessoas vão desaparecer sem motivo.
  4. Próspera – Tanto doam quanto recebem. São capazes de gerar prosperidade para si e para aqueles com quem se relacionam. E finalmente, as pessoas vão ficar sem motivo.

Quer saber mais sobre o caminho do amor baseado nas constelações?

Auto-conhecimento é a melhor faxina interna

Auto-conhecimento é a melhor faxina interna para que você possa viver o amor em sua vida.

Bert Hellinger explica que uma das possibilidades de vivermos o amor é quando, genuinamente, desejamos que o outro seja feliz.

É quando desejamos que o outro esteja bem!!!

Namastê significa que o Deus que existe em mim reverencia o Deus que existe em você.

Porém, Namastê pode ser explicado de várias maneiras:

O amor que existe em mim.

A alegria que existe em mim.

A criança que existe em mim.

A esperança que existe em mim.

E, também, tudo aquilo que existe em mim e que me faz quem eu sou reverencia tudo aquilo que existe em você e faz de você quem você é.

Acima de tudo, espero que esteja entendendo o que quero dizer.

Aí dentro de você, existe tudo que você precisa, mas que as vezes a gente não fala namaste nem para os outros e nem para nós mesmos.

Por exemplo: pegue agora um espelho e deseje que você seja feliz. A primeira vez que eu fiz isso, eu chorei por não conseguir falar. Eu espero que você consiga, mas se não conseguir, continue a desejar que você seja feliz. Isso é amor verdadeiro. Isso é amor ao nosso corpo, a nossa vida. Diga:

Sua vida é feliz. Você passou por muitas coisas para chegar até aqui.

Seus pais são os certos por serem exatamente como eles são. Você é tão feliz. Eles sentem orgulho de você.

Eu estou muito feliz que você é a filha deles.

Namaste.

Outro ponto, conforme as constelações familiares é a aceitação como sendo uma das formas de amar. Quem aceita ama. Quem aceita não deseja que seja diferente.

Assim sendo, diga olhando no espelho: Eu aceito você exatamente como você é. Eu aceito seus pais exatamente como eles são.

Logo, para o verdadeiro amor próprio, eu não conheço nada mais profundo. Eu diria que é impossível que sua vida ficar sem amor quando você todos os dias desejar que você seja feliz, quando mais você desejar que você mesma seja feliz, você vai aceitar quem você é. Isso é amor. Quando mais seu coração vibrar em aceitação aos seus pais, isso é amor.

Assim, o amor irá fazer parte de todos os dias da sua vida.

Quer saber mais sobre o caminho do amor baseado nas constelações?

Pessoas e Relacionamentos tóxicos podem ser evitados

Muitas vezes recebemos ataques verbais, e em forma de gritos, que podem ser ofensivos. Com esse texto eu quero que você aprenda a evitar pessoas e relacionamentos tóxicos.

Outras vezes apenas a presença de alguém nos causa a sensação de que algo está errado e nem aquele bom galho de arruda nos ajuda.

E o que fazer quando recebemos algo que julgamos estar em uma frequência abaixo da que esperamos?

A resposta é: “Menos é mais.”

Ainda mais, visto que toda ação gera um carma, e toda reação também: “Menos é mais.”

“Quando decidimos deixar de respeitar, convidamos o coração a deixar de amar.” Andrea de Oliveira Vieira.

E o que é pior. Ao “descermos” um nível convidamos nosso parceiro a descer também e, por consequência, o amor acaba dos dois lados.

Quando subimos um nível convidamos nosso parceiro a subir também, e o amor cresce dos dois lados. Logo, encontramos cada vez menos pessoas e relacionamentos tóxicos.

A questão de descer um nível, e como exemplo, desrespeitar a pessoa, já podemos visualizar que o fim do túnel para o dar e receber de forma “negativa” é o fim do relacionamento.

Em outras palavras, quando um parceiro desce um nível é necessário maturidade e coragem para não descermos também e, ao contrário, oferecermos algo positivo.

Trocas entre o dar e receber que machucam podem levar ao fim do relacionamento e não crescemos.

Assim sendo, trocas positivas entre o dar e receber levam ao sucesso. Consequentemente, levam à continuidade da vida.

Dessa forma, esse ensinamento pode ser levado hoje para sua vida. Isso vai acontecer quando você levar um provérbio popular para seu cotidiano.

Fazer o bem e não olhar a quem.

Na verdade, eu gostaria de mudar um pouco esse proverbio com todo respeito.

“Faça o bem sem nem saber quem.”

Coloque um pensamento motivo na balança do universo. Faça isso com a próxima pessoa que você ver. Não importa se é uma pessoa que você conhece ou não. Apenas pense algo positivo.

Assim sendo, ofereça sua positividade para essa pessoa e não importa quando, você vai receber de volta.

Como começar a encontrar menos pessoas toxicas e relacionamentos abusivos?

Antes de mais nada, comece plantando sementes de pensamentos positivos na sua estrada da vida. Assim, a colheita será bela.

Obviamente, eu acho super interessante você começa agora mesmo. Tão cedo, você comece a fazer seu mundo melhor, eu também vou receber os frutos das suas ações. Por isso, já me adianto e te agradeço.

Definitivamente, eu te garanto, quanto mais elogios e agradecimentos você oferecer a todos, mas você irá receber. Assim, você vai encontrar menos pessoas toxicas e relacionamentos abusivos.

Logo, você vai ver. De repente alguém irá te elogiar ou agradecer por algo.

Em conclusão, quanto mais você vibrar positivamente, menos pessoas “toxicas” irão cruzar seu caminho. Caso elas cruzem duas coisas irão acontecer:

1) Você não vai precisar do seu galho de arruda

2) Elas receberão um elogio seu.

Dessa forma, você já estará tão bem treinada a ver o lado positivo das coisas que não irá mais ver nada tóxico. Finalmente, você verá que tudo está em movimento e em evolução entre o dar e receber.

Quer saber mais lições sobre como subir na escada dos relacionamentos através das constelações familiares?

Constelações familiares ensinam como ter relacionamentos duradouros

As constelações familiares me trouxeram muitos questionamentos e percepções. Eu comecei a observar a vida, meus relacionamentos de uma forma diferente. Por exemplo: Você já reparou como as coisas podem “funcionar” da mesma maneira?

Por exemplo, se você entender os princípios de como uma escada funciona, vai entender o que fazer para poder subir. O Princípio da escada é que ela esteja posicionada em um solo firme. A escada também deve estar direcionada ao ponto onde você quer chegar. Em seguida, defina o tamanho do degrau que sua perna alcança.

Na sua vida, em todos aspectos da sua vida. Se você quiser “subir”, você pode considerar os mesmos princípios da escada. Esteja consciente e estabilizado onde você está hoje. Em seguida, direcione suas ações para alcançar um objetivo predeterminado antes de começar a dar os passos.

Lembre que cada degrau deve estar dentro dos limites que você alcança.

Outro ponto importante do princípio da escada é a dedicação e se estiver cansada, pare um pouco e respire, mas não volte para traz.

Para seus relacionamentos amorosos, aprendemos com as constelações familiares exatamente isso.

Reconheça que você já está “plantada” em um solo firme, pois tem um pai e uma mãe.

Bert Hellinger diz que “uma arvore nunca reclama onde foi plantada.” Caso a arvore reclame do solo, ela não será sustentada em sua vida e tão pouco terá frutos.

Caso você reclame ou exija algo além do que qualquer ser humano normal poderia ter feito, você também não será sustentada.

Seus pais são seu solo, seus nutrientes o que acontece com você são suas escolhas, o essencial você já recebeu e é o suficiente para você estar viva.

Depois de levar essa compreensão para seu coração que agora vibra apenas em gratidão e defina aonde você quer chegar com seu parceiro.

Essa é uma das chaves para relacionamentos amorosos conforme as constelações familiares: Objetivos em comum

Objetivos em comum, direcionar aonde quer ir, são essenciais para um casal. Assim como para uma escada.

Lembrando que existe um limite para cada passo do casal para subir e crescer cada vez mais. Aprenda com muita dedicação e respeito parando para respirar se necessário.

Outra dica importante é a ausência de controle respeitando que o acontece enquanto caminham não está em suas mãos. Plante a semente e confie que na hora certa o fruto virá e se não vir.

Assim como na escada, não ande para traz e tão pouco traga rancores do seu passado antes do início do seu relacionamento ou do seu passado dentro desse relacionamento.

O caminho é para cima e não para traz.

Bert também diz que Amar Significa: “Eu Renuncio ao controle”.

Até certo nível podemos controlar nossa carreira, nossos estudos, nossas finanças, mas, felizmente, sobre o outro e sobre o que você colhe não há controle.

Digo felizmente, pois assim crescemos. Crescemos ao perceber nossa pequenez perante o todo e assim, nos curvamos à realidade como ela é.

Caminhe, respire, direcione suas ações e agradeça que há alguém com você enquanto você oferece seu melhor e recebe o melhor do outro. E se não há alguém do seu lado?

Comece a caminhar com confiança na escada da sua vida, com seus objetivos.

A vida acontece caminhando.

Afinal, eu acredito que pessoas que estão caminhando são atraentes. As pessoas que se arriscam na busca de seus objetivos são extremamente atraentes. Elas são profundas e tem muito o que falar.

Como diria Anthony Robbins: “Aquilo que não está crescendo, está morrendo.” A probabilidade de alguém iniciar um relacionamento com quem esteja morrendo é muito baixa.

Quer saber mais lições sobre como subir na escada dos relacionamentos através das constelações familiares?

Todo Homem precisa de uma mulher

Você sabia que com as constelações familiares todo homem reconhece que precisa de uma mulher para viver uma vida plena e feliz de verdade.

Sabe o que é dito em relação à maternidade nas Constelações Familiares?

“Apenas quando uma mulher se percebe filha é que ela pode ser mãe.” Sophie Hellinger.

Essa é a força das nossas mães em nossa vida para nossos relacionamentos amorosos. Todo homem precisa de uma mulher que reconheça que a mãe dela é a certa para ela. Só assim ela vai ser uma mulher de verdade e vice-versa.

Apenas com a mãe integrada em nosso coração podemos assumir nosso lugar na vida: emocional, financeira, afetiva e profissional.

Precisamos reconhecer a força de nossas mães para sermos maduros e termos relacionamentos de fato maravilhosos e felizes.

Em seguida, precisamos nos reconhecer faltantes para seguirmos.

Nós homens precisamos das mulheres maduras para nos direcionarmos.

Tanto o homem quanto a mulher vão para a vida com força após se integrarem aos pais, mas sem a mulher companheira não teríamos estrutura emocional para nossas realizações.

Homem é bobo e gosta de impressionar os amigos.

Mulher toma as decisões para que haja continuidade na vida. E assim, um conta com o outro.

Um relacionamento pode ser quase impossível se o homem ou a mulher se julgam seres completos. Um relacionamento amoroso corre grande risco de não dar certo quando um não vê que o outro tem algo que lhe falta. Assim como ying e yang, homem em mulher. O todo só é completo com essas duas partes. Apenas me sinto completo quando estou com uma mulher.

Todo homem precisa de uma mulher.

Eu não sei você, mas eu gosto muito de saber que minha presença é vista como necessária por minha esposa. Quando ela deixa claro que precisa de mim e que sem mim não teria conseguido, Eu fico extremamente feliz e me sinto parte de algo maior, por que não, do todo.

Como parte dessa troca, eu fico extremamente feliz quando ela retribui com algo que eu preciso que eu não posso fazer ou possuo em seguida, eu retribuo.

Assim, homem e mulher caminho na alternância entre o dar e receber. Dar o que tem e receber o que precisam.

“Humildade é reconhecer os limites do que pode e não pode ser feito.”

Bert Hellinger

Além dessa sabedoria de Bert hellinger eu diria que humilde é aquele que aceita o que o outro pode lhe oferecer.

Quer saber mais lições sobre relacionamentos baseados em constelações?

As Constelações podem te ajudar com a ansiedade

Conforme Bert Hellinger nos ensina, a ansiedade acontece quando se quer fugir de algo ou quando se quer que algo aconteça logo.

Ele diz que existem questões inconscientes que podem despertar esse sentimento de rejeição ao que está próximo de mim e quando quero que algo novo se apresente. Nesse sentido, eu posso querer que alguém me tire de onde estou. Eu posso querer que alguém me diga algo diferente do que eu já ouvi. Dessa maneira, colocamos no outro a responsabilidade de nós tirar de determinada situação. E assim sentimos ansiedade.

“Respeitar o tempo dos outros não é uma obrigação, é uma virtude daqueles que realmente amam seu próximo.” Deivide Blance.

Por isso que, às vezes, quando alguém não responde a uma mensagem no WhatsApp da maneira ou no prazo que eu gostaria, eu fico mal. A falta de resposta desperta em mim uma dor e eu fico ansioso, pois eu não quero mais senti-la. Assim, sinto ansiedade.

Seu ego quer que você saia desse lugar de dor e confusão e caminhe para um local novo. A grande questão é:

Como tirar algo que faz parte da minha história e como chegar a um lugar que nem sei onde é?

Eu acredito que as Constelações Familiares são a ciência dos relacionamentos por serem o caminho mais profundo para a aceitação.

Ao sentir aceitação plena de tudo como foi, eu não tenho mais prazos, fugas e corridas.

Eu tenho a vida toda, ou melhor, eu tenho toda a eternidade para alguém me responder.

Você não precisa correr atrás de nada com ansiedade.

A felicidade corre atrás de você.” Bert Hellinger.

Quer saber mais lições sobre relacionamentos baseados em constelações?