Eu sei que você não está infeliz com seu trabalho.

Você está tranquilo, dormindo bem, não existe stress, correria ou nenhum tipo de atrito com seus colegas de trabalho.

E o que é melhor, você faz atividades diariamente com muita tranquilidade e você nem vê o tempo passar.

E o que é melhor ainda, tem muito tempo só para você e para fazer o que você ama.

Fiquei também sabendo que você está fazendo da sua vida profissional o sonho que toda criança gostaria de viver quando crescesse.

Caso contrário, se eu estiver errado, você provavelmente vive em um mundo quadrado e retangular.

Pense do momento que você acorda até ir dormir.

Pense em uma segunda-feira:

Você acorda na cama retangular e desliga o despertador do celular retangular, levanta, entre no box do banheiro e toma banho.

Se enxuga em uma toalha retangular.

No café você come um pão quadrado ou pega o cereal em uma caixa retangular.

Sai atrasado e entra no elevador quadrado que leva você ao carro quadrado e talvez deixe seus filhos em um prédio quadrado.

Chega ao trabalho e tudo continua quadrado: mesa quadrada, telefone quadrado, computador e apresentações quadradas.

Almoça em uma bandeja retangular.

Depois de não ser flexível se percebe quadrado com um colega e tem uma discussão.

Pega café em uma máquina quadrada e faz fofoca de outro colega quadrado.

Pega atrasado seu filho, que ficou novamente esperando na porta da escola no prédio quadrado, e volta para a casa quadrada.

Senta em um sofá retangular e então, finalmente, usa um cilindro para tomar aquela cerveja do comercial no intervalo do jogo que você assistiu na televisão quadrada no domingo.

No final de mês recebemos um holerite retangular e o chamamos de “cebolão”, pois choramos com os impostos e
saímos reclamando do governo e de todos que são culpados por nossa vida quadrada.

Quando o mundo é quadrado a vida não roda.

É claro que existem muitas facilidades criadas pela tecnologia.

Entretanto, eu claramente vejo outra possibilidade além de 20 dias de férias por ano, pois você sempre vende 10 dias e antecipa o 13º.

E, quem sabe, 2018 não vai ser tão ruim assim visto que teremos muitos feriados.

Ah, como é bom olhar o calendário para saber quantos dias faltam para o próximo feriado, não é mesmo?

E quando chegar o feriado, ir à praia em apenas 6 horas de trânsito talvez você pense:

Vou parar tudo para vender coco na praia.

Quer vender coco na praia?

Sua resposta deve ser igual a minha: querer eu quero, mas como vou viver?

Talvez a gente até possa ter coragem, mas será que dá mesmo para ficar na praia o dia todo andando para cima e para baixo todo final de semana?

Vale notar que tenho um respeito muito grande por quem tem o emprego de vender cocos.

Convido você a pensar que quando falamos de coco, não falamos de nossos verdadeiros sonhos.

Se de fato seu sonho não é vender coco na praia, então qual é?

Stephen Covey afirma que para quem sai de casa sem saber o que quer, qualquer coisa serve.

Eu digo que para quem está vivo sem sonhar, qualquer coisa serve.

Por que não encontrar genuinamente o trabalho dos seus sonhos?

O que está esperando?

Constantemente ficamos gastando energia com pensamentos do tipo:

Com essa idade eu já deveria ter pagado minha casa.

Eu já deveria ter tido filhos.

Eu já deveria ser gerente, diretor, funcionário do mês, etc.

Como podemos ser felizes se há tanta gente melhor posicionada que nós?

E até quando iremos viver o mal do século que é, na minha opinião, a comparação?

Geralmente quando estamos vivendo a vida quadrada, abusamos do cartão de crédito que é retangular.

Compramos muito mais do que precisamos.

Will Smith diz que:

Muitas pessoas gastam o dinheiro que não têm, para comprar coisas de que não precisam, para impressionar pessoas que não gostam.

E Einstein diz:

Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

E Henry Ford diz:

Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo.

E Walt Disney diz:

Se você pode sonhar, pode realizar.

Eu acho muito legal olharmos para essas pessoas que conseguiram sair da vida quadrada.

São realmente inspiradoras.

Todavia, deixe-me contar uma história.

No final dos anos 80 eu era, e ainda sou chamado pela minha família de Beto.

Meu nome é Luiz Roberto e meu apelido é Beto.

Lá estava o pequeno Beto com aproximadamente 8 anos e ganhei um presente dos meus pais: ATARI!!!

Além da vida, meus pais me deram um vídeo game maravilhoso.

Eu gostava muito do jogo Enduro e do Hero.

Minha mãe sempre me falava:

Desliga esse vídeo game e vai brincar na rua, faça algo diferente.

Minha resposta:

Espera eu morrer.

Minha mãe, minha mestre feminina essencial para a vida já me ensinava mais que Einstein, Ford e Disney.

Vamos traduzir o que minha mãe dizia?

Beto, desliga essa televisão quadrada, esse console retangular, esse cartucho quadrado, larga esse joystick quadrado e vai brincar com a vida, respirar, correr, se divertir com a experiência e honrar o milagre que é estar vivo.

Vai sonhar “muleke”;

Minha resposta:

Espera eu morrer.

E você?

Que tal desligar o computador ou celular?

Que tal desligar um pouco essas coisas quadradas e honrar a vida que você recebeu através de seus pais experimentando o milagre que é fazer seus sonhos virarem realidade?

Escreva aqui como honrar o milagre da vida, e eu realmente espero que a resposta não
seja a mesma que o pequeno Beto dizia:

Espera eu morrer.