Faz algum tempo que venho escrevendo artigos e, devido a minha paixão pelas Constelações Familiares, venho mencionando muitos ensinamentos sobre o Bert Hellinger e minhas experiências ao participar desse campo possibilitado por ele para encontrarmos novas soluções e novos olhares.

O que não venho mencionando muito é o que aprendi no primeiro livro que li quando entrei nesse caminho.

No meu livro “Ser Árvore” eu comento brevemente esse momento da minha vida, mas agora vou contar em mais detalhes.

Após um momento de crise profunda por eu ter tomado um “PÉ NA BUNDA” e ter a certeza de que eu tinha o dedo podre para relacionamentos, eu resolvi fazer algo de diferente.

Até aquele fim de semana eu buscava as respostas em religiões e em uma figura distorcida do que era Deus em minha vida.

Em minha dor eu resolvi parar de procurar respostas e colocar a responsabilidade em Deus e nas religiões que eu frequentava e decidi encontrar uma resposta.

Como eu já havia participado de alguns seminários da Seicho no ie, resolvi procurar no YouTube se existiam palestras sobre tal filosofia, pois minha busca era descobrir o que acontecia em minha cabeça para eu acabar sempre repetindo os mesmos padrões.

Encontrei os vídeos e comecei a assistir, como os vídeos eram muito longos acabei me desconectando e perdi a atenção.

No canto direito vi o rosto de uma moça com um título sobre desafios.

Lembro que ao ver isso eu disse:

“Nossa, tem cada maluca no YouTube”.

Continuei a procurar novos vídeos da Seicho-No-Ie e a cada nova busca eu encontrava um novo vídeo de mais de 1 hora, e do lado direito da tela aparecia o rosto da moça, e achei que ela estava me perseguindo.

Minhas buscam eram: padrões de pensamentos, sensação de rejeição, medo, etc.

E toda vez aparecia o rosto dessa moça chamada Flavia Melissa.

Resolvi abrir o vídeo dela de 10 minutos, minha ansiedade baixou e pensei: “10 minutos eu consigo assistir.”

Depois de 10 minutos, alguns tapas na cara, muitas lágrimas tomaram conta de mim.

Em seguida assisti a mais um vídeo, resultado: tapas na cara e lágrimas.

Em seguida mais um vídeo e a Flavia comentou sobre o Namastê.

Peguei o contato nos comentários do vídeo e mandei um e-mail pedindo informações.

Mais um vídeo, e ela fala sobre Deepak Chopra.

Na época eu morava em Mogi das Cruzes, perto do shopping, no centro da cidade.

Minha mãe estava me visitando e fomos ao shopping, eu tinha certeza de que não iria encontrar nada do gênero, mas para minha surpresa e plena sensação de paz, encontrei as Sete leis espirituais de sucesso e comprei o livro confiando plenamente, pois a Flavia Melissa havia mencionado em seus vídeos sobre esse guru.

Nesse livro, Deepak fala sobre como encontrarmos sucesso independente do que sucesso seja para nós.

De qualquer maneira, o que ele indica é como sabermos se estamos no caminho, eu uso isso até hoje.

Deepak comenta exatamente o que eu disse acima quando comprei o livro.

Ao querer fazer algo, busque a sensação de paz.

Ao decidir o que fazer, aguarde um minuto e apenas perceba a sensação que vem ao seu corpo. Se você sentir paz, alegria, prazer com sua decisão, isso significa que você pode ir em frente e realizar.

Se não se sentir bem, não faça.

Uma coisa que percebi ao colocar isso em prática, e sinto isso toda vez que estudo, presencio e me entrego para a filosofia das constelações, é que devemos ser fiéis à primeira sensação.

Ao tomar uma decisão, percebemos a primeira sensação que nos vem.

Em seguida, nossos medos, inseguranças, agentes sabotadores e tudo mais vêm à tona, e se não respeitarmos a primeira
sensação, somos tomados pela dúvida e não saímos do lugar.

Esse é o ensinamento de Deepak Chopra.

Perceba a sensação no seu corpo para saber se você está no caminho do sucesso e tenha coragem de agir mesmo com as sensações de dúvida que acabam surgindo.

E o que fazer com o Medo?

“Se der Medo, vai com medo mesmo.” – Autor Desconhecido