Eu Fico Ofendido Facilmente

luiz brites

Ultimamente ando assistindo aos vídeos da Monja Coen no YouTube e percebi uma frase de muita sabedoria:

Não tem ninguém aqui.

Monja Coen, Satyaprem, Osho e muitos outros iluminados são categóricos em dizer que não existe ninguém aqui, um indivíduo separado dos demais, somos o todo.

A iluminação de Buda segue a mesma linha de pensamento sábio e Buda afirma que ele é a árvore que estava sentado quando atingiu a iluminação, ele afirma que ele é as estrelas, os céus, as galáxias e o todo e então ele concluiu:

A felicidade é encontrada quando você descobre quem verdadeiramente é.

Para mim faz muito sentido buscar esse encontro com quem realmente somos.

Para isso existem muitas formas de autoconhecimento.

Coaching: entender quem eu realmente sou significa entender meus sonhos, desenhos, crenças, valores, comportamentos, sombra, luz, momento atual, talentos, etc.

Namastê: O treinamento mais poderoso que já participei e que mais vi pessoas sendo curadas e libertas. Foi no Namastê que encontrei o meu principal porque. O meu principal motivo de agir da maneira que eu ajo.

Constelação: Entender quem eu realmente sou significa reconhecer meu lugar como filho, como filho do papai e mamãe certos para mim. Significa abrir mão das projeções de pais ideais e me reconhecer como o filho certo dos meus pais, avós, bisavós reais e certos que proporcionam todas minhas lições ao longo da minha vida.

A física quântica seria uma outra forma que também entendo como efetiva.

conhecimento - autoconhecimento

Pois, segundo Amit Goswami, a física quântica é a forma real de provarmos a existência da espiritualidade.

Espiritualidade no âmbito de reconhecermos quem realmente somos, onde estamos, de onde viermos e para onde vamos.

Eu até consigo entender o que a física quântica diz e comprova, mas seria uma conversa com um tom filosófico o qual eu precisaria de muito mais que um texto.

Confesso que tenho uma aula EaD sobre física quântica e espiritualidade e logo a colocarei no ar.

Por enquanto vamos focar aonde quero chegar com esse texto.

Não tem ninguém aqui. Sou apenas energia e informação. – Deepak Chopra

Realmente essa frase é muito forte e sendo dita pela Monja Coen, Buda e Deepak traz uma grande credibilidade.

Mas e ai?

O que eu faço com essa informação?

Como posso viver isso na prática?

Monja Coen sugere que ela pode ser presenciada na prática quando estamos em um momento de discussão e alguém começa o que julgamos ser uma ofensa, um ataque.

Monja Coen diz que se não existe ninguém aqui, não existe ninguém que fique ofendido.

Tentei levar isso ao meu dia-a-dia e não tive muita sorte.

Não consegui me manter centrado em uma discussão onde eu julgava que estava sendo cobrado e ofendido.

Fiquei nervoso, perdi a calma e fiquei agressivo.

soco - mao - raiva

Comecei a entrar em um caminho nos últimos 20 dias que me parece ser uma grande possibilidade e até o momento não escorreguei e não sai do meu centro.

Ainda dentro do “Namastê 2 – O Despertar do Avatar” entrei em contato com o efeito sombra antes de iniciar estudos independentes.

O efeito sombra indica que apenas vemos no outro algo que rejeitamos em nós mesmos.

Enquanto eu recebi alguns direcionamentos no meu emprego, eu percebi que estava começando a ficar incomodado e muito provavelmente eu iria a qualquer momento sair do meu centro.

A gota d´água foi quando comentaram da ausência em uma reunião que eu sempre vou.

A gota d´água iria derramar o copo e lembrei:

Calma, não tem ninguém aí.

Também lembrei de um ensinamento taoista que diz:

Se alguém te ofende com uma verdade, não fique nervoso, pois é verdade.

Se alguém te ofende com uma mentira, não fique nervoso, pois não é verdade.

Sendo mentira, comecei a me acalmar, acho que meu rosto ainda demonstrava sinais de estresse, mas eu estava aos poucos voltando ao meu centro, pois aceitei a situação.

Eu aceitei que tudo que essa pessoa me dizia era algo dela.

Algo que existia dentro dela e eu era apenas um espelho.

Escolhi não ficar ofendido e muito menos reagir à situação.

Eu escolhi aceitar o feedback, aceitar a pessoa como ela é e me aceitar como eu sou.

Nesse caso, realmente não existia ninguém recebendo o feedback a não ser um espelho. Levantei as atas das reuniões que demonstravam minha presença e compartilhei com a pessoa em questão.

Graças a essa pessoa , algo mudou em mim, pois eu aceitei o momento e fui me preparar para responder ao feedback com dados e fatos.

Sincronicamente na mesma noite encontrei no Facebook uma frase de Michael Rogers:

O curioso paradoxo é que quando me aceito como eu sou, eu mudo.

Foi efetivamente isso que aconteceu.

Eu mudei, algo mudou em mim.

Luiz brites - calma - tranquilidade

Desde então me encontro mais centrado, mais calmo e sem esforço.

Não sei quando o próximo momento desafiador irá chegar e tenho certeza, assim como a primeira nobre verdade de Buda, que diz:

O sofrimento existe.

Se o sofrimento existe, não tem ninguém aqui, e 99% das coisas que dizem sobre nós são projeções.

Eu consegui até o momento, na prática, escolher a calma.

Sinto que estou mais aberto a esse movimento de entrega à aceitação.

 “Entrego, Confio, Aceito e Agradeço”.” – Prof. Hermógenes

Não é necessário mais me ofender quando alguém me diz algo que não concordo.

A sombra de meus aspectos protegida pelo meu ego está mais próxima de mim.

Minha sombra: Tenho uma tendência a me sentir ofendido e também de ficar chateado quando não recebo elogios.

Sim, sou assim e me aceito plenamente.

Jogo meus problemas na luz.

Se realmente entendemos um problema, a resposta virá dele, porque a resposta não esta separada do problema. – Jiddu Krishnamurti

Escolhi ver essa essa verdade sobre mim e assim simplesmente ser mais gentil com meus processos. Eu me permito ser e ter problemas.

Eu erro e vou errar muito ainda, porém escolho me parabenizar com os acertos e aprender com os erros.

Uma outra informação chegou até mim nessa última semana.

A estrela de basquete, ou o melhor jogador de basquete de todos os tempos, acertava 52% de seus arremessos.

Michael Jordan errou muito, aprendeu com os erros e comemorou os acertos.

Escolho assim perceber que realmente não existe ninguém aqui, que eu aceito os aspectos do meu ego e que tudo que escuto das pessoas é amor ou um pedido de amor.

Com certeza irei ler esse texto para mim mesmo na próxima vez que me sentir ofendido quando alguém diz algo a mim.

Que seja belo.

Obs. Escolher o nome dessa arquivo me trouxe muita felicidade. Foi libertador

Sou assim mesmo, me aceito e te liberto da necessidade de você me aceitar. – Phillipe Lacerda