Quem É Você?

O texto desta semana é para compartilhar uma lição valiosa que tive com o casal Spelter na última semana.

Se você segue meus textos já sabe que eu gosto muito de Constelações Familiares.

Gosto da filosofia, gosto da experiência, gosto dos livros do Bert Hellinger, gosto da postura da Sophie Hellinger.

Caso você não saiba, Bert é o criador das Constelações, e a Sophie é a esposa dele.

Ambos são consteladores e grandes mestres.

Quando participei de um workshop com o Bert e com a Sophie eles chamaram o casal Spelter para o palco, visto que eles foram pioneiros nas Constelações Familiares aqui no Brasil.

E nada mais justo do que presenciar e honrar o trabalho dos dois.

Durante a Constelação do casal Spelter, que eu presenciei, uma constelada (ou seja, uma pessoa que buscou o casal para ter uma constelação facilitada por eles) respondeu à pergunta “O que preocupa você?”, da seguinte maneira:

Não sei minha essência.

O senhor Spelter abriu a Constelação dessa maneira e a preocupação da constelada era não saber sua essência.

Ou seja, ela não sabia quem ela era de verdade.

Spelter apenas olhou para a participante e a constelou em apenas uma frase:

Esta pergunta é lama espiritual.

Confesso que eu percebi que os olhos da constelada estavam bem arregalados ao ouvir a frase.

Confesso que só consegui ver seus olhos arregalados, pois os meus deviam estar maiores que os dela.

Assim como acontece em todas as constelações, esta frase serviu para mim e fez sentido na minha alma.

A frase que o Spelter traduziu para todos nós faz muito sentido para mim.

Ultimamente eu venho respondendo a mim mesmo, e a amigos e conhecidos que trazem tal dúvida durante alguma conversa, de forma muito parecida.

Quando alguém me pergunta “Quem é você?”, ou quando eu me pergunto quem sou eu, existe uma resposta em meu coração:

Eu sou filho.

father-and-son-2258681_1280

Isto me basta.

O fato de eu ter certeza de que essa é a resposta que me nutri é o fato de que há alguns anos atrás eu nunca aceitaria tal resposta.

Eu provavelmente diria que ser filho é ser muito limitado e que eu sou muito mais.

Minha arrogância de outrora e minha certeza de que ser filho é ilimitado trazem paz ao meu coração.

Spelter trouxe outra questão ainda mais profunda que se encaixou com minha resposta “Eu sou filho”.

Spelter disse à participante que a essência dela era a vida.

Tentar responder essa pergunta com qualquer outra resposta é entrar na lama, na lama espiritual sem fim.

Como é para você ouvir esta resposta?

Sua essência é a vida.

Como é para você ouvir esta resposta?

Sua essência é a vida que você recebeu dos seus pais.

Esta é a frase mais poderosa que ouvi esse ano.

Ela é muito simples.

Um simples poderoso.

Como o próprio Bert Hellinger diria:

O essencial é simples.

Poder sentir a simplicidade da minha essência em estar vivo e ser filho é um milagre.

Ao olhar para esta frase o que mais importa?

Existe algo mais importante do que estar vivo?

Você é a vida e, como diria Osho: “Sua missão é ser feliz”.

“Apenas” isso.

Qualquer outra tentativa de resposta, de compreensão, de questionamento é lama.

Não reconhecer que isso é o essencial em nossa vida é viver em uma lama.

É viver com lama de tal maneira que ficamos cegos e perdidos sem saber aonde ir.

No dia da Constelação dos Spleter adquiri um livro.

O título é forte e está diretamente relacionado com essa lição que recebi.

O título da obra do Bert Hellinger é: A fonte não pergunta o caminho.

De acordo com meu sistema de crenças eu traduzo fonte como sendo Deus.

Também entendo Deus como sendo a fonte de tudo, de todo o Universo.

Tal fonte nunca tem dúvida em relação ao seu caminho.

A fonte segue seu caminho.

Minha compreensão é que a fonte segue seu caminho sem perguntas que não têm respostas.

Essa compreensão é também graças a algo que está no livro.

Bert Hellinger diz que um dia foi questionado sobre o sentido da vida e respondeu que o sentido da vida é estarmos em harmonia.

Mais uma vez, outra resposta simples.

Mais uma questão essencial para vida.

Pense comigo:

Aquele que está em harmonia consigo mesmo, com seus pais, com a vida, não perguntará qual caminho seguir.

Quando estamos em harmonia com nossa essência, que é a vida, não temos dúvidas sobre quem somos.

Se você lê este texto e não está em harmonia, perceberá grande incômodo com o que foi escrito até aqui.

Existe a possibilidade de você estar em uma lama.

Que tal fechar os olhos, lembrar-se do seu pai e da sua mãe e permitir que as palavras abaixo saiam de seus lábios?

Minha essência é a vida que recebi dos meus pais.

Se você lê este texto e está em harmonia, perceberá leveza em seu coração.

Feche os olhos, lembre-se do seu pai e da sua mãe e permita que as palavras acima saiam de seus lábios.