As pessoas vão desaparecer sem motivo quando você não sabe o que está fazendo de errado,

Assim sendo, vou te explicar com uma música. Obviamente, você deve saber aquela oração de São Francisco que também já foi interpretada por diversos artistas?

Um trecho dela é assim:

“… Ó mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado
Compreender que ser compreendido
Amar que ser amado
Pois, é dando que se recebe…”

Tal estrofe é a mais importante para ilustrar a força dessa arma. Digo isso pois é fato que podemos afirmar que essa força da retribuição é conhecida desde os inícios dos tempos como o conhecemos. São Francisco traz essa chave da doação sem apego ao resultado como, a meu ver, sendo uma chave da prosperidade. Lembrando que prosperidade, ou seja, estar no fluxo da prosperidade é sentir de alma que temos tudo que precisamos em abundância.

Nesse sentido, eu novamente afirmo que a prova da confiança é a doação. Se você está com dificuldades financeiras, faça uma doação. Existe um autor de best-sellers chamado Deepak Chopra.

Deepak Chopra é um médico indiano radicado nos Estados Unidos. É formado em medicina pela Universidade de Nova Deli. É também professor de ayurvedaespiritualidade e medicina corpo–mente. Um de seus best-sellers é a obra:

As 7 leis espirituais do sucesso.

A segunda lei do sucesso, em breve irei aprofundar a explicação baseada nas constelações familiares sobre sucesso, é a lei da doação. Deepak diz que, para termos sucesso e, no sentido desse livro resumo, sucesso em nossos relacionamentos amorosos, precisamos fazer doações generosas de tempo e dinheiro. Deepak diz e eu acredito que, o universo opera através de trocas dinâmicas. Dar e receber são diferentes aspectos do fluxo de energia. Com a nossa disposição de dar o que buscamos, mantemos a abundância do Universo em nossas vidas.

A força motriz por trás da doação deve ser a felicidade – se quiser amoralegria ou coisas boas, dê o mesmo aos outros sem se preocupar se elas vão desparecer com ou sem motivo.

Ele afirma que, mesmo em situações em que não temos recursos para doar nada, devemos doar nossa felicidade através de palavras de gratidão e elogios com todos que encontramos e, a meu ver, a grande doação quando não há recursos, deve ser a doação generosa de nosso sorriso. Uma das coisas que faço em meu dia-a-dia e recomendo, é olhar para pessoas de forma discreta e desejar que elas sejam felizes e tenham um dia abençoado.

Por este motivo, dar algo antes de pedir outra coisa como retribuição se tornou uma força muito poderosa para recebermos o que almejamos

Assim sendo, começamos a fazer aos outros o que gostaríamos que fizessem conosco

Esse ensinamento é algo que outros pensadores como Chico Xavier, Confúcio etc já diziam.

Um exemplo de como essa arma funciona são os supermercados. Imagine que você está andando pelos corredores e encontra uma pessoa oferecendo amostras grátis de uma nova bebida e você, simpaticamente, aceita experimentar.

Você acha a bebida boa, mas nada demais e, por isso, não pretende comprá-la. A vendedora então sugere que você compre três latas da bebida.

Você sente uma certa PRESSÃO INCONSCIENTE para levar, após ela ter dado a bebida de graça, mas ainda acha o pedido extremo e recusa. Então, ela diminui o pedido para apenas uma lata e a história muda completamente.

Aquelas banquinhas oferecendo revistas de graça também eram campeões de vendas em um passado não tão distante pois, utilizavam essa técnica da reciprocidade, enquanto revistas eram populares e vendiam muito.

Já Bert Hellinger, criador das Constelações Familiares, aprofunda ainda mais essa percepção dessa força da natureza.

Ele também afirma sobre a existência da força da retribuição e, uma frase que venho utilizando ultimamente é a que já mencionei acima. Para deixar claro, vou compartilhar novamente com a intenção de que seja uma compreensão ainda mais profunda.

Não existe uma ação sequer que não entra na sua conta no banco do universo. As vezes receberemos créditos e as vezes teremos débitos.”

O que Bert aprofunda é a visão da dignidade. Ele afirma:

Quem muito dá tira a dignidade de quem recebe.”

Bert Hellinger

Assim sendo, se eu continuar a doar muito, as pessoas vão continuar a desaparecer sem motivo.

Quando estou facilitando as vivências em constelações familiares pelo Brasil, eu explico essa lei da reciprocidade que Bert a denomina como sendo uma das ORDENS DO AMOR ou, uma das leis sistêmicas que COLOCAM O AMOR EM ORDEM.

Eu comento que, minha mãe durante minha infância sempre fazia algum tipo de doce ou salgado para levarmos as casas de nossos amigos e parentes durante uma visita para que os adultos jogassem cartas e as crianças brincassem.

A tradição implicava em levar uma tigela ou bandeja com o alimento preparado pelo visitante, e o anfitrião era nesse sentido convidado a retornar o recipiente em uma próxima ocasião.

Bert Hellinger, diz que apenas quem está disponível para estabelecer o equilibro de troca é quem está disponível para vida e, para ir profundo na vida.

Ao oferecer algo e, ao receber de volta, mais planos e possivelmente objetivos vão entrelaçando as conversas durante os jogos de cartas dos adultos disponíveis para vida.

De acordo com as Constelações Familiares, a percepção da dignidade explica aproximação e afastamentos e, assim é parte essencial da força da reciprocidade, ou seja, do desejo de retribuir algo que rebemos ou não:

Quem muito dá, tira a dignidade de quem recebe.”

Bert Hellinger

Reflita comigo sobre esse exemplo de levarmos alimento ao visitarmos alguém ou as pessoas vão continuar a desaparecer sem motivo.

Logo, pense comigo o que acontece quando você leva a comida ou bebida mais cara possível. Como a pessoa que a recebe poderá retribuir? A resposta seria que ou o receptor irá fazer muito esforço para retribuir a essa “pressão” imposta pela lei da reciprocidade ou, perderá sua dignidade pois, não dá conta de retribuir, fica pesado. Agora a pressão de não conseguir retribuir é uma força oposta que OBRIGA O RECEPTOR A SE AFASTAR.

Em outras palavras, saber dosar o que oferecemos dentro das possibilidades do que o receptor pode retribuir é uma sabedoria. A lei da reciprocidade pode gerar um relacionamento com uma profundidade inquebrável ou um distanciamento sem fim: a pessoa desparece sem motivo.

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose”

Paracelso – médico e físico do século XVI

Obviamente, a grande chave dessa dosagem é o respeito com quem nos relacionamos e uma investigação de nossas motivações em oferecer algo. Assim sendo, se ofereço algo esperando algo em troca ou para tentar provar para a pessoa que mereço valor, a dosagem provavelmente irá ser demasiada.

Isso acontece pois, qualquer olhada no celular ou silêncio de seu parceiro, você já vai “suspeitar” de que ele não gosta mais de você e você irá buscar outra doação. Assim, você transforma suas doações egoístas.

Por exemplo: quando você espera algo em troca, você torna suas ações um veneno. Um veneno que só causa afastamento e as pessoas vão continuar a desparecer sem motivo se você não seguir essa dica.

A dica é:

Pratique a doação altruísta e respeite, sem esperar nada em troca, o limite de que cada um pode fazer.

Sem saber isso, As pessoas vão desaparecer sem motivo.

Para finalizar, gostaria que você pudesse refletir sobre quem você era no seu último relacionamento:

  1. Soberba – Tem dificuldade em receber. São capazes de prestar favores a outros, mas não gostam de receber favores de ninguém e as pessoas vão desaparecer sem motivo.
  2. Egoísta – Sabem receber, mas não querem doar. Só querem o “venha a nós…”. Assim sendo, as pessoas vão desaparecer sem motivo.
  3. Estéril – Não querem dar nem receber. São os eremitas financeiros. Logo, As pessoas vão desaparecer sem motivo.
  4. Próspera – Tanto doam quanto recebem. São capazes de gerar prosperidade para si e para aqueles com quem se relacionam. E finalmente, as pessoas vão ficar sem motivo.

Quer saber mais sobre o caminho do amor baseado nas constelações?